segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Descriminação e assédio sexual feminino

A cada quatro minutos uma mulher é estuprada no Brasil, você sabia disso?


Estupro, é considerado um dos crimes mais violentos que pode ser praticado por violência real ou presumida. Hoje em dia, no Brasil, a pena é de 6 a 10 anos de prisão, aumentando para 12 se há lesão corporal ou se a vítima é menor de idade. Em caso de morte a pena de reclusão é de 12 a 30 anos. 
Antes do ano de 2009, a lei definia o estupro como "constranger MULHER à conjugação carnal, mediante violência ou grave ameaça", deixando claro que apenas as mulheres eram vítimas do crime. Mas com a mudança e a lei 12.015/2009, o artigo 2013 do Código Penal foi alterada para "Constranger ALGUÉM, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso", substituindo "mulher" por "alguém", logo, o homem também pode ser vítima de estupro. 

Todas as vezes que aparece alguma notícia em que uma mulher foi estuprada e morta, me apavora um pouco. E a desculpa disso que os assassinos, o criminosos falam é "A roupa dela era curta, ela provocou". Você acha isso certo?



Enfim, olhando o "weheartit" achei uma foto que queria ter pego há muito tempo, falando sobre uma campanha, então resolvi me aprofundar mais sobre a mesma e descobri que em março a campanha bombou na internet.




Ela foi organizada pela Suiça é chama de "Terre des Femmes" e tem como objetivo e foco promover a igualdade de gênero mostrando que o tamanho do decote, o salto e o tamanho da saia não define ninguém muito menos o caráter. 
Nas imagens, feita pela diretora de arte Theresa Wlokka e por alunos da Miami Ad School de Hamburgo, mulheres aparecem com uma espécie de régua medindo o tamanho do salto, decote e saia e o comprimento é substituípo por xingamentos que muitas mulheres acabam ouvindo ao se vestir com a roupa em questão. Com a frase "Não meça o valor de uma mulher pelas suas roupas" a ONG permite que todos façam uma reflexão sobre esse preconceito crescente no mundo.




Essa semana li a história de uma mulher e resolvi acompanhá-la, o nome da jovem é Amber Amour e com seus 27 anos faz parte de um grupo de ativistas para promover a campanha "Stop Rape, Educate" que tem como tradução "Pare o estrupro, eduquem" e vive na África do Sul. 
Infelizmente ela foi violentada, por um cara que já havia ficado uma vez mas naquele momento ele estava muito bêbado e não seria uma boa hora pra isso. Ele insistiu e a convidou para um banho, ela aceitou porque precisava de um banho quente pois o do hostel em que ela estava ficando era gelada e ela estava doente há dois dias. Era só isso que ela queria mas ali no banheiro ela foi estuprada, por esse cara e parou no hospital.
Assim que pôde, postou uma foto em seu Instagram para contar o ocorrido e incentivar as mulheres violentadas à denunciarem os agressores.

Em entrevista à revista Marie Claire, "Lá estava eu dizendo a outras sobreviventes que elas deveriam falar também. Eu sabia que tinha que praticar o que pregava. A primeira coisa que fiz foi tirar uma foto e escrever um post contando o que havia acontecido."



Logo após ela postou uma outra foto já no hospital com a legenda "Minha visão kit de estupro. Obrigada a todos pelo apoio durante esse tempo. Suas mensagens me incentivaram muito a tomar iniciativa e me colocar de pé por mim e por todas as sobreviventes de estupro." e ainda escreveu " Eu poderia ter escondido os detalhes, ter mantido algumas informações só pra mim. Mas vocês precisam saber de verdade e ver a realidade da situação. Não importa o que a pessoa faça, nada é convite para o estupro. Não importa se eu o beijei, se ele estava bêbado. Muito menos se eu disse sim pelo banho. EU NUNCA DISSE QUE ELE PODERIA ME ESTUPRAR"

Direitos reservados à Theresa WlokkaHypeness.comAmber Amour.

A história dela viralizou nessa semana e em contato com à Marie Claire UK ela declarou " Já se passaram algumas semanas e eu ainda estou na Cidade do Cabo tentando lidar com a polícia. Esou tentando seguir em frente." e continuou " Só tenho que manter o foco, caso contrário, é muito difícil cair em depressão e apenas reviver a coisa toda."




Essa é apenas uma história entre milhões que acontecem todos os dias, por agressores desconhecidos, por parceiros de anos, familiares e até amigos. 



Na internet não faltam histórias de pessoas que sofreram e o que mais me deixou triste foi esse comentário deixado em um site em que as pessoas desabafam sobre isso, fuiestuprada.wordpress.com/ e o comentário ganhou postagem esclusiva e o ser humano agressor que precisa de tratamento disse "... É claro que sendo quem você é, ninguém acreditaria que fosse consensual. E você, para chamar a atenção e contar a todos, deu pra dizer que foi estupro. Eu gostaria de estuprar você muitas outras vezes. E só preciso encontrar você para isso. Eu sei que você vai querer ser estuprada por mim, de novo..." 

Eu peço que denunciem, que procurem ajuda, não importa se aconteceu com você, com sua vizinha, amiga, denuncie! 

VOCÊ PREFERE AJUDAR A VÍTIMA OU ACOBERTAR O AGRESSOR?



Fique a vontade para deixar seu comentário!!!
♥♥


Nenhum comentário:

Postar um comentário